sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Professor de história explica importância da Carta Magna


A Carta Magna, escrita em 1215 pela nobreza inglesa, não foi feita para os pobres, mas abre um precedente para que todos possam ter liberdade

Da Redação do pe360graus.com
A Carta Magna foi um documento escrito em latim que se transformou nas bases das revoluções americana e francesa. Os ingleses não suportavam mais pagar impostos e o rei continuava a extorquir taxas da nobreza. Os nobres então se reúnem e elaboram o documento, em 1215.




Naquela época existiam guerreiros, nobres e duques que juravam defender a majestade a qualquer preço: “Eles morriam, literalmente, pelo seu senhor. Isso formou uma casta guerreira muito interessante. Mas na Inglaterra essa classe vai se rebelar contra o rei por conta de suas arbitrariedades”, contou o professor de História Manoel Affonso.


No século XIII, Ricardo Coração de Leão, um duque francês, dominava a Normandia e, com a guerra, ampliou o controle sobre regiões francesas e inglesas. Ele liderou um exército que seguiu para Israel: “Ricardo Coração de Leão não precisava, ele tinha dois ducados, um condado e uma série de intervenções. Era um psicopata que trucidou uma população que hoje é o território de Israel. Ricardo custou uma fortuna porque uma guerra é cara”, explicou Manoel Affonso.

Ricardo Coração de Leão morre numa batalha e o irmão dele, João Sem Terra, se torna rei. Os ingleses não aguentavam mais pagar com impostos as guerras de seu antecessor, mas João Sem Terra assume o trono e, mesmo num cenário de descontentamento, continua a extorquir impostos da nobreza.

“Essa extorsão gerou uma rebelião dos barões. O nobre barão, junto ao alto clero, impõe ao rei um tesouro jurídico na história das leis: uma carta escrita em latim imposta ao rei no qual ele se compromete a limitar o seu poder real”, continua o professor, referindo-se à reunião da nobreza em que foi elaborada a Carta Magna.

“A Carta Magna vai transformar o poder do reino, que era ilimitado, até então, a um poder submisso à lei e à vontade de uma minoria É um momento muito importante na história das constituições, em que o rei se curva ao poder da lei”.

A nobreza exigia respeito e deixava esta postura de subserviência de lado. A Carta Magna não foi feita para os pobres, mas abre um precedente para que todos possam ter liberdade.

Manoel Affonso conclui: “Esse documento será a base da constituição inglesa. Com um detalhe: é o preâmbulo do parlamentarismo inglês. A Magna Carta fundamenta o que o governo inglês vai ter de melhor futuramente e é também uma resposta a uma busca atemporal do homem como animal político, que sempre buscou uma forma de como pegar aquele poder, que embriaga, e limitá-lo, de forma que ele seja um instrumento de satisfação das necessidades básicas de uma nação”.

Confira o vídeo:
Disponível em:

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.

Promovva Comunicação Estratégica