terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Mural: decisão que autoriza a ortotanásia divide opiniões de leitores

Prática consiste em consiste em deixar de prolongar a vida de doentes terminais

A decisão da Justiça Federal que autoriza a ortotanásiano Brasil provoca polêmica e divide opiniões de especialistas e da população em geral. Nesta segunda-feira, Zerohora.com perguntou aos leitores:

A Justiça Federal autorizou a ortotanásia, que consiste em deixar de prolongar a vida de doentes terminais, sem chances de cura, desde que os familiares deem o consentimento. Qual é a sua opinião sobre essa prática?
O mural teve 33 respostas, que expressam a multiplicidade de posições da sociedade sobre o tema.

"Olha, eu não concordo em hipótese alguma, sou a favor da vida, enquanto restar um fôlego de vida há sempre esperança, quem é um médico pra dizer se deve viver ou morrer?", opina Joel de Oliveira, de Santiago-RS.

Milena Castillo, de Bagé, também discorda:

"Ninguém tem direito de decidir pela vida do outro, isso é o que se pode chamar de fim dos tempos. Com tantas leis pendentes, é aprovada a pior de todas, por isso que o Brasil está desta forma".

Para Angela Maieski, de Novo Hamburgo, a ortotanásia é um procedimento válido, desde que sejam tomados cuidados para evitar o sofrimento do paciente:

"Sou a favor. (...) Vejo como um desrespeito ao ser humano prolongar a agonia, retardando a morte, por outro lado, é indispensável a utilização de medicamentos para controlar a dor".

Outro que se manifesta a favor é Leocemar Nascimento, de Pelotas:

"Sou a favor sim, desta lei! Se o paciente está na fase terminal, e se sabe que não tem mais cura, por que prolongar o sofrimento???", pergunta.

Disponível em:

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.

Promovva Comunicação Estratégica