sábado, 14 de maio de 2011

O que fazer quando o seu carro é afetado pelos alagamentos?

Publicado em 13.05.2011, às 01h47

Do NE10



Para muitos motoristas do Grande Recife, os transtornos provocados pelas chuvas das últimas semanas não se restringiram apenas a enfrentar grandes engarrafamentos, semáforos desligados ou ruas esburacadas. Vários perderam os seus veículos. Além de arriscado, não deve ser nada agradável a sensação de estar dentro do carro e, em poucos minutos, presenciar a água invadindo o veículo. Ou saber que, durante o temporal da madrugada, a garagem do seu prédio inundou e provocou danos irreversíveis ao seu automóvel.

De acordo com o presidente do Sindicato das Seguradoras do Norte e Nordeste (Sindiseg - N/NE), Múcio Novaes, situações como as citadas acima passaram a fazer parte do cotidiano dos motoristas da Região Metropolitana do Recife no período de chuva. "Ainda não temos o número exato de motoristas que tiveram perda total dos seus veículos nas últimas semanas por conta dos alagamentos, mas sabemos que foram muitos. O balanço será fechado no início do mês de junho. A boa notícia é que, mesmo com a grande demanda, todos os motoristas que possuem seguro no Estado estão sendo indenizados", disse.



Para as pessoas que podem pagar um seguro, o transtorno de perder o carro é momentâneo. Desde 2004, a Superintendência de Seguros Privados (Susep), órgão que fiscaliza as operações de seguro no Brasil, determinou que todos os planos básicos, com cobertura contra colisão, incêndio e roubo, se responsabilizem também por submersão total ou parcial do veículo em água doce, inclusive se ele estiver guardado no subsolo. Esse é o chamado seguro total do veículo.

Na madrugada do último dia 30 abril, quando algumas ruas do bairro do Parnamirim, no Recife, foram tomadas pela água, o médico Jorge Guimarães perdeu o veículo. A água invadiu a garagem do seu prédio, localizado na rua Isaac Salazar, e o seu Honda Civic amanheceu submerso. "O nível da água atingiu o painel do carro. Segui as instruções da seguradora e não mexi no carro e aguardei a chegada da perícia. Felizmente, não estou tendo problemas para receber a indenização", contou o médico.

Foto: divulgação

Garagem do prédio do médico Jorge Guimarães na manhã do dia 01 de maio

De acordo com o corretor de seguros Gilberto Andrade, a perda total é considerada se o motor for afetado ou os danos superarem 70% do valor do veículo. Ele indica que, em caso de alagamento do automóvel, o segurado deve comunicar imediatamente ao seu corretor ou ligar para a central 24 horas de atendimento da empresa, solicitando um guincho. O carro pode ser levado para a oficina de preferência do proprietário, mas não pode ser mexido até a autorização da seguradora. A liberação será feita por um técnico, que avaliará se o veículo pode ser recuperado ou se houve perda total.

"Sei que o seguro do carro pesa no orçamento de muitas famílias. Mas, a cada ano, os alagamentos aumentam no Grande Recife. Para não ter um prejuízo maior, aconselho aos motoristas fazer o seguro", afirma Gilberto Andrade. Segundo ele, para diminuir o valor do contrato e, mesmo assim, garantir a cobertura total do carro, uma boa dica é dispensar serviços adicionais. "É possível economizar dispensando algumas garantias agregadas como carro reserva e extensão do serviço de guincho por quilometragem. O importante é fazer a cobertura total de danos".


Disponível em: http://ne10.uol.com.br/canal/cotidiano/grande-recife/noticia/2011/05/13/o-que-fazer-quando-o-seu-carro-e-afetado-pelos-alagamentos-271584.php

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.

Promovva Comunicação Estratégica